sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Tragédia: ônibus desgovernado, Lasier equivocado.

Ontem a tarde estive pelos arredores do centro. Tinha ido buscar uma tia minha para  passar uns dias lá em casa. Eis que quando saímos da casa dela, passamos pelo viaduto  do centro e havia um enorme engarrafamento, até comentei com ela que este tipo de engarrafamento não era comum em plena quinta feira - ainda mais que todos estavam na praia - então tomamos outro caminho.

Já tinha percebido que se tratava de um acidente. mesmo não sabendo onde e nem porquê.
O fato é que ontem na hora do almoço  vi nosso querido Lasier Martins falando da tragédia e em um trecho ele dizia assim:
" (...)Como que uma empresa deixa um funcionário sofrer de mal súbito? Será que o exame médico desta empresa pode ser confiável?(...)"

Meu querido Lasier, amo seus comentários e posso  dizer que me inspirei muito na sua figura, todavia como formadores de opinião, devemos tomar certos cuidados com nossos comentários
se um sujeito sofre de " mal súbito " não quer dizer que isto possa ser diagnosticado, aliás do dicionário Luft  "súbito" quer dizer: adj 1. Repentino;inesperado; inuptâneo adv 2. Repentinamente de súbito: subitamente.
Infelizmente o senhor falhou neste ponto. o homem que estava dirigindo, nem a empresa podem ser punidos já que um mal súbito dá-se repentinamente, sem aviso prévio. quase como por obra do demônio.
Infelizmente o homem veio a ter o seu mal súbito no centro da cidade e causou  perdas. Claro que ainda temos muitas variáveis a ponderar, todavia poderíamo ficar indignados com qualquer outra atrocidade nesta cidade. Que todos os dias acontecem: como crianças passando fome nas nossas ruas ou ladrões que roubam e matam sem piedade, ao invés de querermos culpar um homem ou uma empresa por algo que não podemos ter um controle. 
Eu fiquei chocado, sim, com a notícia. Contudo, estou mais indignado ao fato de que a mídia  sempre dá ênfase aos problemas e nos desvia o foco das tragédias que precisam realmente de nossa atenção.
Desejo a todos uma ótima reflexão, e cuidado no trânsito.

acho interessante dar uma olhada neste texto relacionado: Propaganda ética e verdade

Um comentário:

Thais Crestani disse...

Este é realmente um fato chocante - o acidente - mas a indignação Guilherme, com nossa mídia tem fundamento, a forma com que nos mostram as notícias e as dimensões que eles nos passam é algo revoltante. As notícias deixaram de ter o foco informativo, e passaram a ter a "visão" deles, não nos dão a liberdade de tiramos nossas próprias conclusões, simplesmente nos impõe esses fatos e a visão "correta" e inquestionável deles. O que mais incomoda é essa nossa acomodação, as novas gerações estão sendo "adestradas" a receber esse tipo de informação e julga-las certas.

Postar um comentário