segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Convicções




Alguns dias atrás ,na praça do condomínio onde moro, eu e mais dois amigos ali trovando fiado uma hora surge um assunto: vestibular. Talvez o assunto foi esse por eu estar a poucos dias do vestibular da UFRGS, mas seguindo em diante papo vem papo vai, entramos em um tema perigoso e polêmico as cotas para egressos de escola pública e negros até aí tranqüilo(trema ou sem? maldita reforma) quando começamos a analisar quem realmente deveria ter direito às cotas e estavámos quase viajando ao passado para analisar os fatores influenciaram para tais grupos terem essas "vantagens". Novamente nos deparamos a outro assunto digno de debate: a horrível e intrínseca ao ser humano vontade de sempre levar vantagem em todas as situações e ser melhor que seu semelhante, na hora cheguei a dizer atualmente é quase que impossível ser diferente, um dos que estavam ali defendia uma sociedade onde houvesse a igualdade entre todos, todos se ajudassem, onde um fosse especialista em fazer sapatos e o outro em fazer calças, esses trocariam "mercadorias" (não existiria comércio), cada um teria o suficiente para que ele e sua família vivessem bem.


E eu e meu outro amigo tentavámos refutar essa idéia dizendo que era um espécie de socialismo, que já tivera sido usado em algumas nações que não obtiveram êxito (salve a China, que é mesclagem dos dois sistemas), simplesmente uma utopia, que nunca iria dar certo, e eu afirmando que isso era inerente ao ser humano, até concordamos os três que seria lindo, perfeito, seria o "clímax" da humanidade, contudo não era possível.


Chegando ao final da debate esse que defendia essa idéia disse que é realmente pensando da maneira que vocês estão é praticamente impossível mesmo. Na hora deixei passar, não dei bola, mas quando cheguei em casa e fui dormir, nunca consegui deitar na cama e dormir sempre reflito antes, comecei a refletir sobre aquilo e cheguei a uma conclusão pode até ser óbvia, mas não custa nada eu compartilhar ela com vocês.




Conclui que o principal mal da sociedade é essa acomodação, a falta de convicções, hoje em dia os jovens não tem mais ideais, não brigam pelo o que acham justo, simplesmente acomodam-se e sucumbem, me incluo nesse "seleto" grupo, antigamente o movimento estudantil era forte e hoje? nem perto do que era. Esse ano aqui no estado do Rio Grande do Sul, mais especificamente de Porto Alegre, houve muitas manifestações contra algumas decisões do governo do Estado, além de o número de estudantes que compareceram a essas manifestações ter sido extremamente baixo muitos não sabiam nem o por que estavam ali e não em casa no Orkut ou MSN, não tinham nem convicção nem conhecimento do que foram ali reivindicar. Me empolguei um pouco o texto ficou muito extenso, encerrando gostaria de pedir-lhes que lutem, briguem, corram atrás dos seus ideais, tentem convencer os que estão ao seu redor a segui-lo, e mesmo que para todos pareça algo irrelevante se tu realmente acreditares nisso siga em frente com ele e não desista!






Volto a pedir-lhes que me critiquem e corrijam sem pestanejar! Serei eternamente grato.




Obs: Post relacionado no Blog do Assis. (leitura recomendada)


Imagem da Campanha da Legalidade.

4 comentários:

Guilherme cho disse...

deixo uma citação de Winston churchill:
No capitalismo, o homem é explorado pelo homem. No socialismo, é o contrário.

Daniela Figueiredo disse...

Oi, Eduardo. Obrigada pela visita ao meu blog. Gostei do texto e do blog. Quantos aos ideais, estamos acomodados porque não tem nada que nos incomode de verdade, a ponto de irmos à luta. Vivemos tempos "tranqüilos", ou seja, vivemos em mundos diferentes daqueles que deveriam se incomodar, mas já se acomodaram na violência (como a do Rio de Janeiro ou o pessoal das vilas perigosas de Porto Alegre, em que se deparam com um morto estirado na rua todos os dias). Eu queria ter um ideal e tenho amigos idealistas. Uma amiga, que admiro bastante, se formou em direitos humanos e defendeu as cotas raciais nas faculdades. Não me aprofundei no assunto para argumentar a respeito, mas fiquei chocada com alguns índices que ela me mostrou. É um assunto complexo, que precisa ser bem estudado, pois também nos perguntamos: será este o caminho da igualdade?
Bom, já vou indo senão meu comentário vai ser maior que o teu post (sou tagarela). Beijos e um feliz 2009, que ele seja próspero em idéias e ações.

Eduardo Osorio disse...

Muito obrigado pelo reconhecimento!

Thais Crestani disse...

Excelente colocação Eduardo.
É um assunto polêmico a debatermos...Logo,acho que esse fato de "acomodação" é um mal um pouco brasileiro.Deixamos passar muitas impunidades, no âmbito da política, da desigualdade social, da nossa tão "batalhada" Democrácia, onde ela foi parar?
Será que ela existe realmente?Será que nossos avós,pais e professores que lutaram tanto para ela existir na época da Ditadura, será que hoje eles estão contentes com essa nossa "acomodação" quanto a toda essa baderna que estamos vivendo?
Eu sou parte desse grupo de jovens que reconhece que deveríamos nos mexer, deveríamos reconhecer essa nossa história e batalhar pelos nossos direitos.Mas esse mal da "acomodação" é algo que me impede de levar a frente esses ideiais.

Postar um comentário