quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Insanidade ou Burrice?

Alguns insanes desavisados afirmavam que a tal crise que foi pouco comentada ao longo do 2° semestre não nos afetaria, que nós tinhamos bala na agulha para suportá-la, agora passado um Natal próspero, posso dizer, que as vendas aumentaram em relação ao ano passado que não fora afetado pela crise, até então achava que nossos governantes estavam nos subestimando, mas depois dessa alta nas vendas voltei atrás e pensei até agora está tudo tranqüilo conforme nos foi dito. Até que passamo os olhos pelo meu leitor de feeds, quando me deparo com a seguinte notícia:



"Crise: Bolsa perde duas Petrobrás em 1 ano."



Em reais, a queda foi de 41,5% e as 323 companhias presentes durante todo o ano na bolsa passaram de um valor de mercado de R$ 2,09 trilhões em 31 de dezembro de 2007 para R$ 1,22 trilhão em 26 de dezembro, uma perda de R$ 871,27 bilhões. Das 58 empresas que compõem o Ibovespa (índice da Bolsa de Valores de São Paulo), apenas sete elevaram seu valor de mercado.



- É como se duas Petrobras (cujo valor de mercado ao fim de dezembro de 2007 estava em R$ 429,92 bilhões) ou todo o setor bancário (27 bancos valiam R$ 407,21 bilhões no mesmo período) tivessem virado pó.



Nominalmente, a Petrobras registrou a maior perda, de R$ 209,32 bilhões no intervalo investigado, ou 48,7%, chegando o seu valor a R$ 220,59 bilhões na sexta-feira.



- Foi a maior queda na América Latina. Somada com a da mineradora Vale (que perdeu 49,6%, para R$ 136,39 bilhões), esse decréscimo representa 39,5% do total das perdas das empresas de capital aberto pesquisadas - ressalta Rivero, ao observar o quanto o mercado brasileiro de capitais está concentrado.


As nossas maiores empresas tiveram muitas perdas. Será nos parecemos tão burros ingênuos a ponto de nos privarem da verdade?


Como disse Paulo Sant'anna na crônica "A crise que não se vê." à Zero Hora:


"Dizem que o pior inimigo é aquele que não se consegue ver.


Esse pensamento deve ter sido esculpido para explicar a derrota dos EUA na guerra do Vietnã.


As tropas norte-americanas eram dizimadas diariamente por vietcongues invisíveis na selva.


É que, a vingar esse pensamento, a pior crise econômica que sofreremos em todos os tempos é esta que está por vir."

E agora acreditaremos em quem ou em que? Gastar mais é mesmo o melhor remédio para esta crise? Por em quanto não há como saber o que será do amanhã, nos resta esperar e aos desocupados como eu, comentar tais fatos sem ter nenhuma propriedade sobre o assunto.


Só para variar gostaria de pedir que comentem, me critiquem, me corrijam (também os erros de português), me chinguem. Acreditem não sou nem um pouco rancoroso.






Vejam a notícia completa no Jornal do Brasil.



Eduardo Osorio

4 comentários:

Guilherme cho disse...

tinha uns erros mas tu já arrumou.
foda-se o neoliberalismo!
eu sou capitalista mas já não deu certo com liberalismo pq daria com o neo?

Acho que o neoliberalismo eo unilateralismo acabaram por FODER a economia mundial.

Os estado Unidenses quando lucram, lucram sozinhos.
Quando falem, falem o planeta junto.

é o q eu digo. fizeram embargo economico em cuba e cuba sobreviveu. agora q chegou a crise eles nem sentirão.

Daniela Figueiredo disse...

Época de crise é época de cautela. Nada de prestações longas e absurdas (os juros estão altíssimos, vou adiar a compra do meu apê - buá...) e empréstimos. Aplicar na bolsa - por enquanto - nem pensar, apesar dos corretores aconselharem, pois os preços estão baixos. Quanto aos erros de português, hoje começa a valer a reforma ortográfica. Socorro a nós! Não vai ser fácil a adaptação.
Beijos.

Guilherme cho disse...

nem me fale. vai ser uma confusão.

Eduardo Osorio disse...

Pior será para os professores...

Postar um comentário